19 de novembro de 2021 às 11:34

ESTAMOS REGRAVANDO GRENVILLE COM EXECUTIVOS DO TURISMO?

Usar expressões aleatórias, sem fundamento, não faz nenhum sentido e impressiona pela forma errada.   

Crédito:https://observatoriodatv.uol.com.br/noticias/raios-de-greenville-cena-iconica-da-novela-a-indomada-bomba-nas-redes-sociais

Na década de 90, mais precisamente em 1997, a Rede Globo exibia A INDOMADA, uma novela cujo um dos núcleos era composto por empresários falidos e pastelões. A trama utilizava termos da língua inglesa misturados com língua portuguesa, transformando os personagens e verdadeiros palhaços e serviçais da língua estrangeira.

Claro que o consagrado autor Aguinaldo Silva o fez propositalmente, para demonstrar o quão patético se torna um ser que tenta impressionar outro ser através deste emaranhado de palavras compostas por idiomas distintos na mesma frase.

A novela fez sua parte como obra de ficção e deixou apenas o legado da diversão entre os telespectadores, todavia, para nosso azar auditivo, o mesmo não aconteceu com os executivos da atual geração do turismo.

A impressão que se tem quando conversamos com determinados executivos, principalmente neste momento em que as conversas e reuniões se tornaram muito mais teleconferenciadas, é que estes diretores e gerentes nasceram em Greenville.

Entre uma frase e outra, ouvimos algumas palavras em outro idioma, que seguramente, pela péssima pronuncia, desconhecem o significado da mesma. Pior ainda, quando tentam colocar palavras que não cabem na frase, apenas para dar status ao texto, sem contexto, fica aleatória, jogada, descabida e patética.

Assistindo a uma teleconferência, o tal zoom, no inicio deste ano, três executivos que explanavam os assuntos, tentavam impressionar tanto a plateia de segundo grau incompleto, que em vários momentos me recordava o Moe, o Larry e o Shamp.   

A simplicidade em tempos modernos seguramente é a alma do sucesso. Saber se expressar de forma clara e simplista, é a melhor maneira de se fazer entender e causar boa impressão.

Somente devemos usar expressões idiomáticas ou de efeito se estas forem realmente pertinentes á conversa e ao texto, acima de tudo necessária, sem esta ordem, você estará parecendo um personagem e se torna motivo de risos e paródia entre os seus pares.

Conhecer outro idioma é extremamente importante, porem, você deve usa-lo no lugar certo, para as pessoas certas, no momento certo.

Quando ouço, nas rodas profissionais, um executivo tentado arrotar palavras difíceis  para se fazer respeitado e importante, eu na minha concepção penso,  este cara deve ser filho da Altiva.

Well! Para que saibam...em Havard, existem cursos pagos e de curta duração, então, não se iluda, nem todos que lá estiveram, são dignos de idolatria, do you understand?            

Fonte: CLIENT

comentários

Estúdio Ao Vivo