05 de novembro de 2021 às 09:48

O BRASIL COMEMORA EM OUTUBRO A COR ROSA...O TURISMO LAMENTA COM A COR PRETA.

OUTUBRO FECHOU COM DIAS AINDA COMPLICADOS PARA O TURISMO 

Crédito:https://meunegocio.uol.com.br/blog/cuidado-servicos-em-nuvens-estrangeiras-podem-se-tornar-uma-grande-dor-de-cabeca/#rmcl

Quando era professor em algumas universidades nos anos de 2001 até 2006, não aguentava mais ler os trabalhos dos alunos alicerçando suas teorias do mercado turístico nos atentados ás torres gêmeas.

Indiferente do tema, lá estava o aluno descrevendo todo o ocorrido e baseando seus argumentos nos problemas americanos e o fato dos EUA estarem em total atenção ao Afeganistão, na guerra e na recessão. Mesmo quando o assunto não tinha nenhuma relação entre si, eles ganhavam fôlego, tempo e linhas e mais linhas, discorriam sobre o episódio,  com isso o foco do trabalho se perdia,  desviando a atenção do professor e dos demais em sala.     

Percebo hoje que o mundo ficará refém desta pandemia e alicerçará a falta de competência do setor turístico para a retomada em cima da pandemia viral por longos anos.

Outubro acaba de encerrar, a bolsa demonstrou quais os piores desempenhos e quedas em relação a valor das ações,  e entre as cinco piores colocações, três estão ligadas a empresas de turismo, o que demonstra um sinal vermelho importante.

Contra fatos não há argumentos, já diz o dito popular, o turismo não só precisa de ações rápidas (para agora), como precisa de ações EFICAZES. Discursos são bonitos quando temos tempo, neste momento de UTI precisamos de ATITUDES.

Os responsáveis pelo setor (publico ou privado) precisam colocar as mãos na massa e assim como os alunos mencionados no inicio deste texto, deixarem de falácias e partirem para  pratica efetiva.

Em se tratando de aluno, eram jovens, estavam em aprendizado e pagavam para aprimorar-se. No caso dos atuais gestores (que são pagos e bem pagos) estas desculpas e alicerces não se aplicam. Ficarem filosofando sobre os efeitos da pandemia no setor, não resolverá o problema. Todos  sentimos e conhecemos os impactos. O que queremos saber é: O que será feito HOJE? Entenderam? HOJE. O mundo voltou a girar novamente, sabiam?

Existem ações que podem e devem ser tomadas neste momento.  Vejam um exemplo simples, que poderia ser feito a três mãos envolvendo: Cia aérea + operadoras/agencias de viagens + hotelaria. A Cia aérea apresenta de forma “in real time” para o mercado seus voos com baixa ocupação, de posse desta planilha, a hotelaria verifica sua disponibilidade de leitos, cruzando interesses comuns apresentam para as agencias de viagens e operadoras ofertas para abastecerem suas prateleiras.  A planilha que tem de ser  “on line” e faria o sobe e desce das vendas e ofertas diárias.  Simples como pão na padaria.

Fácil?  Não, não o é! E por quê?  Porque envolve o maior problema brasileiro (que não tem nada a ver com vírus) e sim com EGO....ninguém quer admitir que esta com problemas, querem seguir tentando se reerguer sozinhos para demonstrarem competência individual. Exatamente por isso, mensalmente quando cada executivo tem de apresentar os resultados negativos ao mercado sobre seu negocio, o discurso tal qual ao dos adolescentes em aula, se baseará no vírus da covid ou outro vírus qualquer que surgir...e assim podemos ficar por meses e meses..quiçá até anos. O DISCURSO SE INICIA EM NOVEMBRO:   A CULPA NÃO É MINHA! A CULPA É DO VIRUS (REAL OU NÃO..ISSO NÃO  IMPORTA) ..É CULPA  DO VIRUS!  

Fonte: CLIENT

comentários

Estúdio Ao Vivo